Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Atualização Médica

Artigos Cientificos

Doença de Gaucher e gravidez: um prognóstico favorável

Doença de Gaucher e gravidez: um prognóstico favorável

Autores: Francisco Lázaro Pereira de Souza, Rogério Gomes dos Reis Guidoni, Sérgio Floriano de Toledo, Diego Wallace Nascimento

Contexto: A doença de Gaucher (DG) é uma doença lisossômica de depósito, presente com maior prevalência entre judeus asquenazes, e está relacionada à mutação N370S. Apresenta-se clinicamente de três formas: não neuropática ou tipo 1, mais prevalente e com bom prognóstico; neuropática aguda ou tipo 2; neuropática crônica ou tipo 3. No tratamento, emprega-se o imiglucerase, um repositor enzimático.

Descrição do caso: Paciente com 20 anos, primigesta, nulípara, com 36 semanas de idade gestacional, diagnosticada com DG tipo I aos oito anos, foi internada para acompanhamento de sua afecção de base, controle da pré-eclâmpsia e infecção do trato urinário. Devido à variação dos índices hematimétricos, foi induzido o parto com 37 semanas e 2 dias. O recém-nascido não apresentou quaisquer distúrbios e seguiu em alojamento conjunto.

Discussão: Observou-se a necessidade de controle clínico ativo, mesmo com a paciente em uso regular do imiglucerase, evitando repercussões graves para o binômio materno-fetal.

Conclusões: Salienta-se a necessidade de controle hematológico ativo, via de parto conforme indicação obstétrica, seja via alta ou baixa, e níveis plaquetários superiores a 50.000/mm³.

Para ler o artigo complete, acesse http://docs.bvsalud.org/biblioref/2016/11/2492/rdt_v21n4_153-157.pdf

Mais Artigos


Eventos Científicos