Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

ÚLTIMAS

10/11/2015 - 7ª edição do Doutor Cidadão premia sete projetos sociais

Desde 2004, a Associação Paulista de Medicina apoia, reconhece e valoriza programas sociais idealizados e executados por médicos ou acadêmicos de Medicina nas áreas de Saúde, Educação, Assistência Social e Meio Ambiente, com abrangência no estado de São Paulo. Na última sexta-feira, 6 de novembro, ocorreu a cerimônia de premiação da sétima edição do Doutor Cidadão.

Evangelina Vormittag, diretora de Responsabilidade da APM, que fez a apresentação de todos os projetos e dos vencedores, fez um agradecimento especial à comissão julgadora e aos responsáveis pelos 26 projetos inscritos na edição 2015 do Prêmio.

José Eduardo Paciência Rodrigues, diretor adjunto de Responsabilidade Social, afirmou ser um prazer integrar uma equipe capaz de ser agente transformador da sociedade. "São poucos que realizam ações de responsabilidade social em tempos de crise, quando o orçamento aperta.”

Representando o presidente da APM, Florisval Meinão, o diretor de Defesa Profissional da entidade, João Sobreira de Moura Neto, fez uma analogia do prêmio com o recebimento do diploma de Medicina, após anos de estudo. "A Associação Paulista de Medicina fica muito feliz por poder contribuir um pouco com os projetos.”

Premiados

O grande vencedor da noite foi a Fundação Poder Jovem (http://www.poderjovem.org.br/), que conquistou o primeiro lugar (R$ 13.000,00) da categoria Médicos – Pessoa Jurídica. O projeto visa a promoção da cultura, atividades de acolhimento e estímulo ao desenvolvimento psicológico, físico, afetivo, cultural e social de adolescentes vivendo e convivendo com HIV/Aids. "Os médicos enfrentam inúmeras dificuldades, por isso, ter uma casa como a APM, que nos acolhe e estimula é muito gratificante”, afirmou Gloria Brunetti, diretora administrativa do projeto.

O Programa Pró Albino, da Santa Casa de São Paulo, obteve o segundo lugar (R$ 7.500,00) na categoria Médicos – Pessoa Jurídica. Objetiva o registro e acompanhamento médico, sobretudo de dermatologistas e oftalmologistas, de albinos. "Não tínhamos muita ideia dos rumos que o projeto tomaria quando o iniciamos, e hoje já temos 180 albinos o frequentando semanalmente. Pretendemos estender a proposta para outros serviços de saúde”, disse um dos criadores, Marcus Maia.

Na categoria Médicos – Pessoa Física, o projeto Visão Amazônica (http://institutodavisao.org.br/projetos/) ficou em primeiro lugar (R$ 8.000,00). Realiza modernas cirurgias oftalmológicas na região Amazônica, distribui óculos gratuitamente e elabora estudos sobre a prevalência e causas de deficiência visual e cegueira na região. "É recompensador poder ver um pai enxergando o filho ou um profissional de enfermagem finalmente conseguindo puncionar uma veia após retomarem a visão”, ressaltou Maria Lúcia de Macedo , do Instituto da Visão, um dos responsáveis pelo projeto.

Em segundo lugar (R$ 4.000,00) na categoria Médicos – Pessoa Física veio o projeto Na responsa! (https://www.facebook.com/naresponsa), que objetiva prevenir o consumo de álcool por menores de idade, em parceria com a Ambev. "Estou muito surpresa e gostaria de agradecer a APM pelo reconhecimento. Há oito anos, atuamos na prevenção do consumo de álcool pelos jovens e hoje já estamos presentes em 5.300 escolas no estado de São Paulo”, informou Bettina Grajcer.

O Cursinho Popular de Medicina (http://www.pet-fmrp.com.br/cursinhodamedicina/) conquistou a primeira colocação (R$ 6.000,00) na categoria Acadêmicos. "Atuamos há oito anos e estamos com 100 alunos por ano atualmente, alguns inclusive fizeram o cursinho e hoje são alunos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Estamos muito contentes com esse prêmio”, comemorou Larissa Oliveira Almeida.

O projeto Feira de Saúde, do Centro Acadêmico Antonio Prudente (da Faculdade de Medicina da Universidade de Mogi das Cruzes), ficou com o segundo lugar da categoria Acadêmicos (R$ 3.000,00). "Este é o único projeto de extensão da Medicina Mogi e inclui alunos do primeiro ao sexto ano, colocando-os em contato com os pacientes. A premiação vai nos ajudar muito”, celebrou Marinna Pacheco da Silva.

Por fim, na categoria Incentivo, foi premiado o projeto UTI Vida: Faça uma Criança Viver, com R$ 2.000,00. O projeto de implantação de uma UTI neonatal na Santa Casa de Santa Cruz do Rio Pardo, encabeçado pela pediatra Kátia Isabel Bernardes Henares, começou em 2003 e, quatro anos depois, a unidade passou a funcionar. Desde então, também foi possível a criação de uma UTI para adultos no hospital e do setor de terapia semi-intensiva.

Fotos: Osmar Bustos