Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

ÚLTIMAS

10/10/2018 - APM recebe representantes da Associação Médica de Hiroshima

Fortalecendo suas relações com a comunidade nipônica, a Associação Paulista de Medicina recebeu, nesta quarta-feira, 10 de outubro, representantes da Associação Médica da Província de Hiroshima (HPMA, na sigla em inglês). Ambas as entidades possuem um acordo de irmandade, assinado em 2008.

A comitiva japonesa reuniu Masao Kuwabara, vice-presidente da Associação Médica da Província de Hiroshima, Shunichi Kaseda, diretor da Associação Médica da Província de Hiroshima, Hideki Taniguchi, vice-presidente do Hospital Cruz Vermelha – Bomba Atômica de Nagasaki, Takeshi Yahata, chefe do departamento de Assistência aos Hibakusha da província de Hiroshima, e Ryujin Ikemoto, encarregado do departamento de Assunto e Apoio às Vítimas da Bomba Atômica da Prefeitura de Hiroshima.

Pela APM, estiveram presentes o presidente, José Luiz Gomes do Amaral, e o vice-presidente Jorge Carlos Machado Curi, que inclusive foi quem assinou o acordo em 2008, quando estava à frente da entidade.

Também estiveram presentes os hibakusha que moram no Brasil. Este termo designa os japoneses sobreviventes das explosões atômicas de Hiroshima e Nagasaki, em 1945. Por aqui, se organizaram na Associação Hibakusha Brasil Pela Paz. O presidente, Takashi Morita, o vice, Kunihiko Bonkohara, e as diretoras Junko Watanabe e Yasuko Saito participaram do encontro.

O presidente da APM começou o encontro expressando a sua gratidão pela visita e a alegria por representar os médicos de São Paulo diante dos convidados internacionais. “Já são muitos anos desta relação. A imigração japonesa, no Brasil, é muito importante. A maioria dos descendentes de japoneses tornou-se parte da elite intelectual do País. Basta ver que são 10% dos médicos e 15% dos engenheiros”, declarou.

Masao Kuwabara também agradeceu pela receptividade e sobretudo pelas palavras de Amaral, que definiu como bases da cultura japonesa a honestidade, o trabalho e o amor pelos estudos. “Transmitirei essas palavras a todos os jovens em meu país, pois também acreditamos que são esses valores que nos guiam”, disse.

 

Relação Brasil-Japão

O acordo firmado entre as instituições, em 2008, tem o objetivo de promover a Medicina em ambos os países, estabelecendo relações com a comunidade nipo-brasileira e entre os membros das entidades, com cooperações médicas, culturais e comunitárias. Além disso, promover seminários, palestras e estudos referentes a temas pertinentes às atividades educacionais, culturais e profissionais das associações.

Disto veio, por exemplo, a exposição “Hiroshima e Nagasaki: um agosto para nunca esquecer!”, que a APM promove em todo o estado de São Paulo desde 2010. A ação, que tem o intuito de provocar reflexões sobre essa tragédia aos mais jovens, reúne pôsteres com imagens e textos informativos, vídeos com testemunhos de sobreviventes, documentários e animações japonesas. Todo o material é oriundo do Japão, por intermédio da Associação Médica da Província de Hiroshima.

Outra grande iniciativa organizada pelas entidades foi o Congresso Médico do Centenário Brasil-Japão, no Memorial da América Latina, em 2008. Naquele ano de celebração, a APM convocou referências da comunidade japonesa e descendentes para um grande evento visando fortalecer o relacionamento dos países e das comunidades. Cerca de oito mil pessoas estiveram presentes.

Fotos: Osmar Bustos

Galeria de Imagem