Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

ÚLTIMAS

12/03/2018 - APM sedia posse das novas diretorias da Associação Brasileira de Mulheres Médicas

Fátima Regina Abreu Alves assume o segundo mandato à frente da nacional e Magda Maria Sales Carneiro Sampaio foi eleita para a seção São Paulo

 

A solenidade de posse das novas diretorias da Associação Brasileira de Mulheres (ABMM), Nacional e Seção São Paulo (biênio 2018-2020), ocorreu na última sexta-feira, 9 de março, na sede da Associação Paulista de Medicina. Fátima Regina Abreu Alves assumiu o segundo mandato como presidente da nacional e Magda Maria Sales Carneiro Sampaio passou a dirigir a seção São Paulo [confira as composições completas abaixo].

 

O presidente da APM, José Luiz Gomes do Amaral, reiterou a importância da renovação gestora no âmbito das decisões políticas.É uma imensa satisfação albergarmos um evento dessa natureza. Já em muitas oportunidades, tivemos o privilégio de acompanhar as trocas das gestões da ABMM. Dizia-me um grande amigo, Paulo Natanael, que a renovação dos quadros assegura a perenidade das instituições, e podemos assistir à continuidade de uma iniciativa tão relevante como essa.”

Amaral também reafirmou o compromisso da entidade em apoiar os trabalhos desenvolvidos pela ABMM, defendendo a atuação de mulheres médicas no País. “Há um bom tempo, vimos a dificuldade de inserção de profissionais do gênero feminino na Medicina. Nos dias atuais, temos a maioria de mulheres em praticamente todas as especialidades médicas, muitas vezes com um desempenho bem melhor que os homens. A ABMM é imprescindível não apenas para reverenciar o passado, mas também para enaltecer os diversos expoentes femininos do hoje.”

À frente da ABMM Nacional, Fátima Regina Abreu Alves (gestões 2016-2018 e 2018-2020) agradeceu todo o corpo diretivo pela vivência nos últimos dois anos: “Foi uma experiência única, uma grande troca com profissionais tão comprometidas com a Medicina, ética, conhecimento, respeito, autonomia e dignidade dos pacientes. São valores presentes no nosso juramento e que devem permear toda a carreira médica. Tenho certeza que as diretoras vão continuar perseguindo com dedicação essa transmissão às gerações futuras”.

 

São Paulo: mudança gestora

Ivone Minhoto Meinão, que presidiu a ABMM – Seção São Paulo nos dois últimos mandatos, relembrou a extensa divulgação dos trabalhos desenvolvidos no período: “Na APM, nos envolvemos em diversos encontros e parcerias. Participamos também da entrega de carteirinhas no Cremesp e marcamos presença em grandes eventos como o Congresso Pan-Americano de Mulheres Médicas, ampliando a nossa atuação fora dos limites do Brasil”.

Ivone recebeu um prêmio de menção honrosa em reconhecimento aos projetos desempenhados nos últimos dois mandatos. “Você realmente elevou o nome da ABMM São Paulo, melhorando muito a visibilidade das mulheres médicas brasileiras”, agradeceu a tesoureira da entidade, Maria de Fátima Caetano Pinto.

 

A pediatra Magda Maria Sales Carneiro Sampaio, com mais de 40 anos de carreira médica, assumiu a presidência da entidade estadual (biênio 2018-2020). “É um prazer e uma grande satisfação participar de uma associação tão importante, ao lado de mulheres lutadoras e competentes. É uma responsabilidade enorme”, declarou.

Professora titular de Pediatria da FMUSP, Magda ainda disse ter muito a agradecer a Ivone Meinão, “por me entregar a ABMM-SP tão bem-sucedida nestas duas últimas gestões, inclusive com todas as contas bem organizadas”. A nova presidente da Associação ainda exibiu três literaturas científicas que apontam que os trabalhos das médicas são mais bem-sucedidos entre os pacientes.

 

Desafios e próximos passos

Fátima Regina, reeleita para a ABMM, apresentou um breve panorama histórico da inserção da mulher na Medicina e a demografia médica atual. “O ingresso das mulheres foi lento e gradual. Ainda na segunda metade do século 20, tínhamos até cinco mulheres em uma turma de 80 alunos. Mas avançamos, de outrora impedidas a cursar Medicina, a conquistar o nosso espaço na área. Hoje, já somos maioria entre os médicos abaixo de 29 anos, representando 56,2%. Estamos constatando uma feminização e um rejuvenescimento da carreira médica”, disse.

 

Para ela, a conciliação entre carreira e as responsabilidades pessoais e familiares é o maior desafio para as mulheres. “Não temos respostas porque ainda somos minoria nos cargos de chefia, por exemplo.” Embora muito obstáculos tenham sido vencidos desde 1919, quando foi fundada a Associação Internacional de Mulheres Médicas, o gênero feminino ainda tem dificuldade de assumir cargos de comando em diversas áreas de conhecimento. 

“Estudos apontam que o nível educacional da mulher é maior que o do homem, embora ainda não tenhamos atingido de forma plena altos cargos. Isso faz diferença na questão salarial. É uma etapa da Associação Brasileira de Mulheres Médicas enfrentar esse preconceito. Acredito que a nova diretoria vai continuar na luta pelos direitos das mulheres”, complementou Ivone.

 

Estimular as médicas jovens à equidade na luta política continuará sendo a bandeira defendida pela ABMM. “Ocorreu-me a tela Operários, da Tarsila do Amaral, que contém homens e mulheres juntos, trilhando o mesmo caminho. Entendo que para termos os nossos direitos respeitados, precisamos dessa construção conjunta, em que todos são importantes e partilham do mesmo ideal”, ratificou a presidente da entidade nacional.

“A competência, a versatilidade e a determinação levam a todas essas vitórias. Tenho a expectativa que sejamos reconhecidas pela nossa capacidade, como acontece nos países escandinavos e no Canadá. A vida das mulheres é bem intensa, com aspectos bem interessantes e mais desafiadores. Esperamos contribuir com um estudo demográfico do cenário das mulheres médicas no estado de São Paulo para entendermos o nosso atual cenário”, finalizou Magda.

 

A mesa solene ainda foi composta por Jurandir Marcondes Ribas Filho, representante da Associação Médica do Paraná: “Corroboro profundamente com os trabalhos científicos aqui apresentados. Desejo para a doutora Fátima a assiduidade de seus projetos. Parabenizo também nossas presidentes: doutora Ivone, que deixou um trabalho profícuo, e anseio sua continuidade para a doutora Magda. Em suma, parabéns a todas as mulheres, em especial às senhoras médicas”.

 

Diretoria ABMM – biênio (2018-2020)

Presidente

Fátima Regina Abreu Alves

Presidente eleita

Elizabeth Regina Giunco Alexandre

Vice-presidente

Marilene Rezende Melo

Secretária geral

Elisa Maria do Céu Batista Moreira Garcez

Primeira secretária

Irene Abramovich

Segunda secretária

Mariza Helena Prado-Kobata

Tesoureira geral

Ana Regina Cruz Vlainich

Primeira tesoureira

Maria de Fátima Caetano Pinto

Diretora de Assuntos Científicos

Francy Reis da Silva Patrício

Diretora de Assuntos Técnicos Profissionais

Vanessa Sousa Santos Truda

Diretora de Assuntos Internacionais

Anna Maria Reisner Martíts

Diretora de Assuntos Socioculturais

Helena Luíza de Olivira Stivanin

Diretora de Relações Públicas

Nise Hitomi Yamaguchi

 

Conselho Fiscal (titulares)

Sônia Maria Rolim Rosa Lima

Renata Cantisani Di Francesco Mion

Chang Yen-Li Chain

Du Su Ying

 

Conselho Fiscal (suplentes)

Jéssica Bistafa Liu

Natalia Zaidan Maluf

Jellin Chiaoting Chuang

 

Diretoria ABMM - São Paulo – biênio (2018-2020)

Presidente

Magda Maria Sales Carneiro Sampaio

Vice-presidente

Sônia Maria Rolim Rosa Lima

Tesoureira

Maria de Fátima Caetano Pinto

Segunda tesoureira

Marilene Rezende Melo

Secretária geral

Elisa Maria do Céu Batista Moreira Garcez

Primeira secretária

Francy Reis da Silva Patrício

Diretora Científica

Miriam Nacagami Sotto

Diretora de Assuntos Técnicos Profissionais

Conceição Aparecida Mattos Segre

Diretora de Relações Públicas

Nise Hitomi Yamaguchi

Diretora Sociocultural

Nelci Zanon Collange

Diretora Acadêmica

Bárbara Soares Gonçalves

 

Conselho Fiscal (titulares)

Ivone Minhoto Meinão

Ana Cristina Zollner

 

Conselho Fiscal (suplentes)

Vanessa Alvarenga

Natalia Zaidan Maluf

 

Fotos: B.Bustos Fotografia

Galeria de Imagem