ÚLTIMAS NOTÍCIAS

02/06/2020 - Brasil se aproxima dos 780 mil casos de dengue em 2020

Apontamentos do novo Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde indicam que o Brasil possui mais de 778 mil casos prováveis de dengue (com taxa de incidência de 370,4 casos a cada 100 mil habitantes) registrados durante a 21ª Semana Epidemiológica (período equivalente aos dias 29 de dezembro de 2019 a 23 de maio de 2020).

O Centro-Oeste segue sendo a região que apresenta a maior incidência da arbovirose, com 928,1 casos a cada 100 mil habitantes. Em seguida, estão as regiões Sul (867,2 casos/100 mil habitantes), Sudeste (311,0 casos/100 mil habitantes), Nordeste (132,6 casos/100 mil habitantes) e Norte (90,6 casos/100 mil habitantes).

Neste cenário, os estados do Acre, São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal destacam-se por apresentar taxas de incidência acima da média se comparadas com outros locais ao redor do País.

Até o momento, 585 casos de dengue grave e 7.089 casos de dengue com sinais de alarme foram documentados, enquanto outros 499 seguem em investigação. Durante o período, 342 óbitos por dengue foram confirmados, 277 (81%) por critério laboratorial e 65 (19%) por clínico-epidemiológico.

As principais vítimas foram pacientes acima dos 60 anos, concentrando 58,2% (199 mortes) dos óbitos. E os estados do Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Distrito Federal apresentam a maior concentração no número de óbitos confirmados por dengue em todo o Brasil.

Outras arboviroses

Os levantamentos sobre Chikungunya demostram que mais de 34,7 mil casos prováveis – com taxa de incidência de 16,5 casos por 100 mil habitantes – foram registrados no País. Assim como nas edições anteriores, Nordeste e Sudeste são as regiões que lideram as maiores taxas de incidência, sendo 29 casos/100 mil habitantes e 18,2 casos/100 mil habitantes, respectivamente.

A Bahia é o estado com a maior concentração no número de casos prováveis da doença, com 37,5%. Em seguida está o Espírito Santo, com 31,5% e o Rio de Janeiro, com 9,2%.

Durante o período de análise e até a divulgação do Boletim, foram confirmados oito óbitos por Chikungunya por critério laboratorial. Dois na Bahia, um no Rio de Janeiro, um no Mato Grosso, um no Espírito Santo, um na Paraíba, um no Rio Grande do Norte e um em Pernambuco. Outros 17 óbitos permanecem em investigação.

Sobre os dados de Zika Vírus, mais de 3,5 mil casos prováveis, com incidência de 1,7 caso a cada 100 mil habitantes, foram notificados.

O Nordeste foi a região que apresentou a maior taxa de incidência (3,6 casos a cada 100 mil habitantes), seguido pelo Centro-Oeste (2,5 casos/100 mil habitantes) e Norte (1,5 caso/100 mil habitantes). Não foi registrado nenhum óbito por Zika.