Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

APM NA IMPRENSA

23/02/2018 - Diagnóstico preciso auxilia tratamento das arboviroses

Por: Brasil Campinas 
Reportagem: Guilherme Sawaia

As doenças transmitidas pelo aedes aegipty, dengue, febre amarela, zika e chikungunya, continuam alarmando a população. No último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, 85 mortes por febre amarela já foram confirmadas no Estado, neste ano, de um total de 238 casos. Já os casos de dengue, em janeiro, superaram 2017. Já são 2.300 registros da doença.

O problema das arboviroses urbanas é que a identificação da doença é difícil, por serem sintomas parecidos. O diagnóstico correto pode tornar o tratamento mais eficaz, como explica o infectologista da Associação Paulista de Medicina, Roberto Debski

A mortalidade da febre amarela está acima de 40% no Estado de São Paulo. Os principais sintomas são febre, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações. Em alguns casos, a doença evolui e passa a apresentar sintomas semelhantes aos da hepatite, como olhos amarelos, urina escura e uma forte debilidade orgânica.

Quando um paciente chega com algum dos sintomas, no entanto, o tratamento é feito como se fosse dengue, pela semelhança das manifestações, de acordo com o infectologista da Associação Paulista de Medicina, Roberto Debski
O índice de mortalidade da dengue é bastante inferior ao da febre amarela e chega a 2% este ano.