Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

ÚLTIMAS

10/01/2018 - Febre Amarela: medidas preventivas e funcionamento normal no Clube de Campo da APM

Apesar da interdição de alguns parques municipais e estaduais pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo – como medida cautelar contra a febre amarela – o Clube de Campo da Associação Paulista de Medicina está funcionando normalmente, pois não há evidências de contaminação em seu espaço. Cabe ressaltar que toda e qualquer decisão será das autoridades sanitárias, tanto a estadual como a municipal.

Além de tomar todas as providências preventivas com relação à transmissão da doença e de incentivar a vacinação de todos os colaboradores de sua sede campestre, a APM também recomenda que seus associados e familiares se vacinem pelo menos 10 dias antes de visitar o Clube.

 

A vacina está indicada a partir dos 9 meses de idade. Porém, em condições de surto, pode ser antecipada para os 6 meses de idade, de acordo com orientações da Sociedade Brasileira de Infectologia. Para evitar a picada do mosquito, a SBI ainda recomenda o uso de camisa de manga longa, de calça comprida e de repelentes adequados.

 

Transmissão e sintomas

Em regiões rurais, os mosquitos transmissores da febre amarela, Haemagogus e Sabethes, são comuns. Em via de regra, há grande transmissão entre mosquitos e animais, principalmente macacos, e pode ocorrer transmissão eventual para o ser humano por picada de vetor silvestre.

Já no meio urbano, a infecção se dá pelo Aedes aegypti quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra a doença circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado.

Os sintomas são febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina).

 

Notícia relacionada:

27/12/2017 - Campanha de vacinação contra febre amarela recomeça nesta terça; veja lista de postos