ÚLTIMAS

31/08/2020 - Motociclistas são as principais vítimas de trânsito, segundo Ministério da Saúde

No ano passado, os motociclistas foram as principais vítimas no trânsito brasileiro, representando 35,2% dos óbitos e 59,7% das internações em decorrência de acidentes. Em números concretos, 10.533 deles perderam a vida e 104.195 foram hospitalizados. Para o Sistema Único de Saúde, isso representou custo aproximado de R$ 166 milhões. Os dados são do Ministério da Saúde.

Segundo o levantamento, apesar dos números elevados, a taxa de motociclistas mortos vem diminuindo desde 2017. Antes disso, houve forte redução entre 2012 e 2013, com 31% de óbitos a menos de um ano ao outro.

Dentre os estados que registraram as maiores taxas de falecimentos em 2019, sobressai Piauí com 17 por 100 mil habitantes; Tocantins com 13,5 por 100 mil habitantes; e Mato Grosso com 10,8 por 100 mil hab.

Apresentaram as menores taxas de mortalidade o Rio de Janeiro, com 1,6 por 100 mil habitantes; Amapá e Distrito Federal, ambos com 2,4 por 100 mil hab.; e São Paulo, com a taxa de 2,9 por 100 mil hab.

O boletim também aponta que a taxa de mortalidade das lesões de trânsito no Brasil chegou a 21,8 por 100 mil habitantes, em 2017, segundo o Instituto for Health Metrics and Evaluation (IHME). Entre as Américas, os dados mostram, ainda, o País com uma das maiores taxas de óbito envolvendo motociclistas, com 7,3 por 100 mil habitantes.