ÚLTIMAS

10/01/2019 - Planeje sua Aposentadoria

Enquanto advogados, engenheiros, publicitários e diversos outros profissionais acabam a faculdade aos 22 anos e começam a trabalhar, os médicos só concluem os estudos perto dos 30.

É QUASE UMA década a menos para acumular dinheiro e garantir uma aposentadoria tranquila. Por isso, os planos de previdência privada são a solução para não enfrentar problemas financeiros no futuro. Isso porque o dinheiro que o médico investe durante toda a sua carreira poderá ser utilizado quando ele quiser, em um único saque ou mensalmente, como se fosse um salário.

Além da corrida contra o relógio, outro motivo para os médicos optarem pela previdência privada é a incerteza sobre o futuro do INSS. De acordo com Carlos Tejeda, diretor de Distribuição de Vida e Previdência da seguradora Zurich – que é parceira da Associação Paulista de Medicina no serviço de previdência privada - é preciso enxergar a proteção da própria renda como uma responsabilidade sua também.

“As fontes acreditadas até então não serão sustentáveis com o passar do tempo para garantir a totalidade dos rendimentos no futuro. Quanto mais cedo o profissional começar a contribuir, melhores serão seus rendimentos”, explica.

Nesse sentido, o PGBL é indicado para quem declara o Imposto de Renda pelo modelo completo e contribui com o INSS. Os valores investidos podem ser abatidos até o limite de 12% da renda bruta anual, reduzindo o imposto a pagar ou aumentando a restituição. O IR será cobrado sobre o montante acumulado, quando o valor for resgatado.

Já o VGBL é recomendado para quem declara o Imposto de Renda pelo modelo simplificado ou para quem já atingiu os 12% no PGBL. Os investimentos não podem ser abatidos do IR. Quando resgatar o dinheiro, o investidor pagará o imposto apenas sobre os rendimentos, e não sobre o montante acumulado.

Uma dica final é avaliar a relação entre a taxa de administração e a rentabilidade do fundo de previdência. Nem sempre é mais vantajoso escolher o plano com taxa menor porque “é mais barato”. Um fundo com taxa de administração de 0,7% ao ano e rendimento anual de 8% talvez seja pior do que um fundo que tenha taxa de 1,3%, mas atinja rendimento de 10%.

Sendo assim, procure sempre um consultor especializado para verificar qual a melhor solução para o seu caso! A APM oferece o serviço de previdência privada com as melhores condições do mercado, clique aqui e saiba mais

 

Publicado na Revista da APM - edição 706 - dezembro 2018