Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

ÚLTIMAS

08/02/2018 - São Paulo tem 161 casos confirmados de febre amarela e 41 mortes

De acordo com boletim divulgado na última quarta-feira (7) pelo Ministério Saúde, dentre os estados brasileiros, São Paulo lidera o número de ocorrências de febre amarela, com 161 casos confirmados e 41 mortes.

Os números se referem ao período de 1º de julho de 2017 a 6 de fevereiro deste ano, quando o País todo registrou 353 casos de febre amarela, com 98 mortes. Entre julho de 2016 e 7 de fevereiro de 2017, foram confirmados 509 casos e 159 mortes.

No boletim divulgado no dia 30 de janeiro, havia 213 casos de febre amarela e 81 mortes no Brasil. Isso significa que em uma semana, o número de casos aumentou 66%, enquanto a quantidade de óbitos teve alta de 21%, com 140 casos e 17 mortes a mais do que havia sido notificado anteriormente.

Ao todo, desde 1º de julho de 2017, foram notificados 1.286 casos suspeitos, sendo que 510 foram descartados e 423 permanecem em investigação.

Minas Gerais (157 casos confirmados e 44 mortes) é o segundo estado mais atingido pelo vírus, seguido do Rio de Janeiro (34 casos confirmados e 12 mortes). Foi confirmado também um caso com óbito no Distrito Federal.

 

Todos os casos são silvestres

O Ministério da Saúde informa que não há registro confirmado de febre amarela urbana, quando o transmissor é o mosquito Aedes aegypti, sendo que o último caso do tipo registrado no País foi em 1942.

O caso de febre amarela em São Bernardo do Campo (SP) está sendo investigado por uma equipe da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo – e deve ser observado que o paciente mora na região urbana, e possivelmente trabalha na área rural.

De acordo com a pasta, todos os casos atuais são silvestres, ou seja, a doença foi transmitida por vetores que existem em ambientes de mata (mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes).