Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

ARTIGOS

08/02/2018 - Vinhos básicos para um fim de semana... a dois!

Não estou escrevendo só para os que gostam de vinho! Escrevo sim, a pedido da APM, para todos que em algum momento estarão com sua companheira, ou companheiro, num final de semana romântico, em lugar especial e comemorando parcerias afetivas ou amorosas e usarão o vinho como elemento de sedução e conquista.

Além de ginecologista, também dou aula de vinhos na Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo, e toda vez que termino uma aula na Associação ou em eventos sociais, principalmente eventos médicos, pessoas aproximam-se silenciosamente e me perguntam ao pé do ouvido: “Professor, tenho um encontro romântico nesse sábado e gostaria da indicação de um vinho que possa tornar o momento especial e inesquecível.” 

Como “especialista”, seria ideal nessa ocasião saber qual o cardápio previsto, o local escolhido, a data a comemorar etc., mas já me acostumei a não solicitar essas respostas, pois aprendi que muito da escolha do vinho independe disso tudo quando o objetivo subliminar é conquistar a parceira ou parceiro.

Nessa situação, além de excelente bebida para compatibilização com alimentos, o vinho passa a ser representante de conhecimento, de cultura, de poder de escolha, de afirmação pessoal e de demonstração de força econômica, visto alguns exemplares custarem muito caro.

Apesar de parecer à primeira vista que sejam apenas esses vinhos caríssimos os únicos a causar descontração e inspiração para uma noite de amor perfeita, posso assegurar que o que realmente importa não é a escolha de um vinho que marque o momento, mas sim promover um momento especial que marque o vinho disponível naquela ocasião. O vinho será lembrado pelo encontro que acompanhou e, evidente, a companhia.

Em meados de outubro do ano passado, Victoria e David Beckham resolveram sair para um jantar romântico. O casal se empolgou e resolveu compartilhar com seus fãs o que estavam bebendo. Pelo aplicativo Snapchat, Victoria postou uma série de garrafas que ambos estavam desfrutando. Entre os rótulos havia Château Margaux 1995, Château Cheval Blanc 2012, e Château Lafleur 2006.

O valor da conta, somente em vinhos, foi estimado em mais de 2 mil libras, cerca de 9,4 mil reais. Uma pequena extravagância para uma família cuja fortuna é estimada em mais de 2 bilhões de reais. Mas surpreendem as escolhas. O Château Margaux é o vinho mais sexy e feminino de toda a região de Bordeaux; o Château Cheval Blanc é, por sua vez, o vinho de Saint Emilion com maior conteúdo de fitondrostenodiona da França; e o Lefleur é o vinho mais elegante do Medoc, rivalizando com o Perus e o Le Pin em degustações desde de 1872.

Lembro que a androstenodiona é precursora da testosterona na esterioidogênese e a combinação dos dois vinhos, de forma bem agendada ou simplesmente por acaso, “turbinou” de forma ascendente esse encontro, com certeza.

Poderíamos indicar várias outras combinações para o casal top inglês. A Revista Adega sugere um Château de Beaucastel 2001, borgonhês fino e elegante. Um Quinta da Boa Vista 2013, douro português másculo e potente e, para finalizar, um Port Taylors 1967, o vintage mais bem avaliado desde esse ano. Custo total: 3,2 mil reais. Melhorou?

Mas o que indicaríamos no mundo real, no nosso encontro previsto no início do artigo? Um vinho bem feminino, sexy, com aromas florais e extremamente sedutor, o Gewurztraminer Hugel & Fills 2012, alsaciano elegante e complexo. Um vinho másculo latino, encorpado e surpreendente, o El Enemigo 2013, e um vinho de sobremesa Vin Santo di Toscana 2006, famiglia Antinori. Preço da sedução: 540 reais. Estamos melhorando.

É lógico que vocês perceberam que estou brincando com nomes e valores. Na verdade, não precisamos de nada disso. Há vinhos muito honestos e bem-vindos em qualquer encontro importante. Posso relembrar um desses momentos inesquecíveis vividos há pouco tempo. Buenos Aires, livraria Atheneo na avenida Santa Fé. Comendo empanadas tucumanas e bebendo um vinho do Ernesto Catena, ovelha negra da família, de nome Animal, malbec 2015.

Posso lembrar até hoje o aroma, a música que tocava e o sorriso da minha mulher que, surpresa, dizia: “Numa livraria?”. Posso ainda descrever o resultado da caminhada que fizemos em direção a Palermo velho, logo a seguir. O efeito desse vinho durou o resto do dia. Como disse o rapaz que o indicou. Animal, o vinho que faz todo mundo uivar e gritar.

Desculpe, fugi do tema. Voltando... hoje posso sugerir coisas bem práticas para o encontro desse final de semana a dois para você que está lendo: três importadoras para se informar e ficar up to date a respeito: Mistral, Decanter e Adega Alentejana. Três sites para se ilustrar e se divertir com vinho: Sonoma, Vinhos do mundo e Evino. E, finalmente, três vinhos para provar e surpreender no encontro: Espumante Cave Geisse Rose (Bento Gonçalves-RS), tinto Flor de Crasto (Douro português) e um colheita tardia Carmen (vale de Casablanca- Chile).

Você me perguntará agora: Qual a safra? Qual a temperatura de serviço? Como servir cada um dos vinhos? Compatibilizar com que? E afinal, qual o preço dessa brincadeira? Independente do vinho a escolher, torço para que seu encontro no fim de semana seja espetacular. Esqueça Victoria e David Beckham, mas lembre-se que a vida é muito curta para beber só vinhos ruins. Arrisque, surpreenda, economize, mas divirta-se. Boa sorte!

eliano-pellini-29082013_132601-G Eliano Pellini é ginecologista, professor da Faculdade de Medicina do ABC e da Associação Brasileira de Sommeliers