ÚLTIMAS

11/09/2020 - Webinar APM: Guido Palomba aborda “Suicídio: a tragédia do século XXI”

“O suicídio é um acontecimento que está presente desde quando o ser humano passou a ter consciência de si mesmo. No momento que ele entende quem é, que existe, não se conforma com algumas coisas, ou não aguenta algumas vivências dolorosas, e se mata”, explica o psiquiatra forense e diretor Cultural da Associação Paulista de Medicina, Guido Arturo Palomba. O especialista expande o assunto no próximo dia 16 de setembro, às 19h30, no 18º Webinar APM, transmitido via YouTube. Defina um lembrete no vídeo abaixo.

Na ocasião, o especialista irá aprofundar sobre os três tipos de suicídio de maior incidência no País. “Há aquela pessoa que não quer se matar, mas não vê outra saída para a situação dolorosa vivenciada e prefere tirar a própria vida. O segundo caso mais comum trata-se daquele indivíduo que quer deixar um culpado. Por fim, pessoas com algum transtorno mental, especificamente, denominado psicose maníaco depressivo, tem predisposição a esse comportamento”, pontua.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 800 mil pessoas se suicidam por ano no mundo, o que equivale a uma morte a cada 40 segundos. A Associação Brasileira de Psiquiatria informa que, a cada dia, 32 pessoas se suicidam no Brasil.

Segundo o Ministério da Saúde, homens e as faixas etárias entre 14 e 24 anos e acima de 70 anos são os grupos de maior risco. Os principais sinais são diminuição do autocuidado, isolamento social, mudança repentina de humor, abuso de drogas lícitas e ilícitas e automutilação (nos jovens).

Palomba afirma que em momentos históricos de dificuldades econômicas, guerras e pandemias, as ocorrências tornam-se maiores. “Na nossa situação atual de pandemia de Covid-19, possivelmente, haverá um aumento nos índices de suicídio. Também verificamos uma incidência crescente entre os jovens.”

E como as autoridades públicas, médicos e profissionais da Saúde e a sociedade como um todo podem ajudar no sentido de diminuir esses casos? “A pessoa que tem intenções suicida precisa ser escutada, ela quer falar. Muitos suicídios poderiam ser evitados se tivesse alguém para escutá-la, um colo, alguém que escute, que dê atenção”, responde o especialista.

 

Para se inscrever, basta acessar o link https://www.youtube.com/watch?v=Tm54js7HsCw&feature=youtu.be

Galeria de Imagem